segunda-feira, 28 de março de 2011

Americano diz ter filmado suposto 'pé-grande'



Thomas Byers diz ter filmado suposto 'pé-grande'


Incidente ocorreu na Carolina do Norte.
'Foi tudo muito rápido', disse Thomas Byers.

O note-americano Thomas Byers alega ter filmado no dia 23 de março a criatura conhecida como "pé-grande" atravessando uma estrada no condado de Rutherford, no estado da Carolina do Norte (EUA), segundo reportagem da emissora "NewsChannel 36".

Byers contou que estava entre quatro e seis metros de distância do suposto "pé-grande" quando o apanhou a atravessar a estrada. "Foi tudo muito rápido", disse ele, destacando que, na hora, não havia entendido direito o que tinha visto.

Segundo ele, o "pé-grande" teria mais de 2 metros de altura e 130 quilos.

fonte: G1

quarta-feira, 23 de março de 2011

Cidade da Sibéria quer centro para estudar... yétis



A administração local da região siberiana de Kemerovo, na Rússia quer agora criar um instituto científico para estudar a criatura.

Para sua grande sorte, porque ele acabou por lhe salvar a vida, Tintim encontrou o yéti na sua perigosa viagem ao Tibete. E foi talvez essa história de Hergé a que mais fez pela fama do Abominável Homem das Neves. Diz a lenda (e as gentes locais) que esse ser descomunal vive algures nos Himalaias. No entanto, a região siberiana de Kemerovo, na Rússia, também tem a sua versão do yéti e a administração local quer agora criar um instituto científico para estudar a criatura. "É a sequência lógica das investigações que têm sido feitas sobre o yéti", explicou a administração local, citada pela AFP.

Para já, está agendada até ao final do ano uma conferência internacional sobre o yéti na cidade de Tachtagol, naquela região, que contará com a participação de "especialistas sobre hominídeos", segundo as autoridades da região. "Em função dos resultados, tomaremos uma decisão sobre a abertura de um instituto de investigação para estudar o yéti", adiantam os responsáveis.

Igor Bourtsev, um especialista russo sobre o grande Homem da Neves, citado pelas autoridades locais, diz que existem cerca de 30 especialistas que actualmente estudam essas criaturas. "Pensamos que pertencem a uma linha separada da evolução humana e que vivem em harmonia com a natureza", explica o especialista russo.

Bourtsev tinha anteriormente adiantado à agência Itar-Tass que estava prevista a abertura de um instituto de investigação nesta área na universidade estatal da região, mas esta já veio desmentir tal intenção. Há quem pense que tudo isto tem mais a ver com turismo do que outra coisa qualquer. Mas resta sempre a possibilidade de estudar o fenómeno antropológico.

fonte: DN

segunda-feira, 21 de março de 2011

Americano organiza 'caçada' na tentativa de encontrar o 'Pé-grande'



Americano pretende encontrar o 'Pé-grande'

'Pé-grande' teria entre 1,80 metro e 2,40 metros de altura.
Rick Lunsford diz ter visto a criatura quando tinha 20 anos.

O norte-americano Rick Lunsford, de 52 anos, organizou uma "caçada" no condado de Wilkes, no estado da Carolina do Norte (EUA), na tentativa de encontrar o "Pé-grande", segundo reportagem da emissora de TV “WTSP”. Lunsford alega que viu a criatura quando ele tinha 20 anos. De acordo com ele, o "Pé-grande" teria entre 1,80 metro e 2,40 metros de altura.


quinta-feira, 17 de março de 2011

quarta-feira, 16 de março de 2011

Nessie showed up!

Eu não sei mas este dá que pensar!
Vejam, analisem, tirem as vossas conclusões!

Orang Pendek



Orang Pendek ou "homem pequeno" seria uma criatura semelhante a um pequeno macaco que supostamente viveria nas florestas da ilha de Sumatra, Indonésia.

Acredita-se que essa criatura fale um idioma próprio. Segundo a lenda, o Orang Pendek mede de 0,75 a 1,50 m de altura e teria o corpo coberto inteiramente por pelos castanhos. Ele seria herbívoro.

Múmias que supostamente seriam de orang pendeks eram outrora vendidas aos turistas que visitavam o local. No século XIII, Marco Polo viu múmias que eram feitas com cadáveres pelos nativos do local.

Deborah Martyr, uma redatora inglesa de uma revista de turismo, foi a última pessoa a supostamente ver o Orang Pendek em Kerinci.

fonte: Wikipédia

domingo, 13 de março de 2011

Criaturas místicas. Elas existem?

O Pé Grande


Ele é descrito como grande, peludo, cheira mal e é uma mistura de homem e fera. Dizem que circula as florestas da América do norte e muitos já disseram tê-lo visto desde a década de 1950. Contudo, até agora não foram encontrados pelos, dentes, ossos ou qualquer outra evidência de sua existência.

Nessie


O famoso monstro do lago Ness da Escócia. A primeira “aparição” de Nessie foi reportada em 1933, depois foi uma febre de moradores e turistas dizendo ter visto algo nas águas geladas do lago. Aqueles que acreditam descrevem o animal como um gigante réptil marinho do tempo dos dinossauros. Apesar das investigações, ainda não foram encontradas evidências inquestionáveis.

O Chupa Cabra


Este ficou famoso até no Brasil. Ele foi “visto” pela primeira vez nos anos 1990 em Porto Rico. As descrições de altura variam, mas dizem que ele tem uma fila de ferrões nas costas e olhos de E.T. Também foi considerado um vampiro que suga o sangue de suas vítimas: cabras, ovelhas e pequenos animais. Dizem que ele é de outro planeta ou o produto de uma experiência genética do governo que deu errado.

O Diabo de Jersey


Este é um dos mitos mais antigos, data dos anos 1700. De acordo com o folclore, uma mulher de Nova Jersey deu a luz a um monstro com uma cabeça de cavalo, asas de morcego e cascos como patas. Durante todos estes anos a história foi contada entre as gerações e, ocasionalmente, alguém jura tê-lo avistado, mas não há evidências. Este lembra o bebé diabo.

Champ


O Champ é um parente americano do Nessie, que vive no lago Champlain. Suas formas variam, mas dizem que ele tem várias corcundas, é gigante, tem a pele escura e a cabeça de uma cobra ou de um cachorro, depende de quem conta. Sua famosa foto de 1981 foi desmascarada, era apenas um pedaço de madeira.

O Monstro de Montauk


Este é um mito recente, surgido em julho de 2008, em Montauk (Nova Iorque). O monstro apareceu na praia e era uma criatura de quatro pernas, garras, quase sem pelos. Sua foto circulou pela internet. Alguns acharam que se tratava de uma brincadeira, outros acreditavam que era um porco ou um animal geneticamente modificado. Depois de um tempo, ele foi identificado como um guaxinim em decomposição. Fim de caso.

A Sereia Feejee


Ela não era uma sereia comum, aquele belo ser, metade mulher, metade peixe. Era apresentada pelo apresentador de shows, P.T. Barnum, nos anos 1840. O ser era metade macaco e metade peixe. Tratava-se de uma fabricação, claro, eram dois animais costurados um ao outro. Mas a ideia atraía muitos curiosos.

Monstros marinhos


As histórias de monstros marinhos são contadas há milhares de anos. Um livro de 1752, chamado “A história natural da Noruega” descrevia um monstro chamado Kraken (lembram-se do filme  Piratas das Caraíbas?), que tinha o tamanho de uma pequena ilha e era redondo e cheio de tentáculos. Ele estaria sob comando dos deuses do mar. Hoje em dia, registos destes monstros são raros e os cientistas acreditam que, na verdade, as aparições deveriam ser de lulas ou polvos gigantes.

Ogopogo


O Canadá também tem seu Nessie, o Ogopogo, que vive no lago Okanagan. Sua origem é ligada aos nativos do país, mas não há provas. Centenas de anos atrás os nativos acreditavam que um espírito da água vivia naquele local e sacrifícios eram necessários para acalmar sua ira. O Ogopogo recebeu este nome de uma dança local. Apesar de não existirem evidências, as pessoas reportam actividades estranhas no lago até hoje.

Vampiros


Antes eles eram monstros, actualmente, são galãs apaixonados. Nenhum mito é tão famoso hoje em dia quanto eles. Mito? Alguns acham que não. De qualquer maneira, eles são descritos como seres sensuais (e sexuais) atormentados que se alimentam de sangue. Ainda não há prova que existam seres que, uma vez foram humanos, e precisam de sangue para sobreviver, mas existem outros animais que bebem sangue: sangue-sugas, pernilongos e morcegos.

fonte: HypeScience

sábado, 5 de março de 2011

Pé-Grande



O Pé-grande (em inglês: Bigfoot ou Caiola; ou Sasquatch - termo derivado do halkomelem - um idioma do grupo linguístico salishan, natural do sudoeste da Columbia Britânica) é descrito como uma criatura na forma de um grande macaco que vive nas regiões selvagens e remotas dos Estados Unidos e Canadá. Reivindica-se que seria um animal aparentado do Iéti tibetano (o "Abominável Homem das Neves").

Em 2007 foi organizada uma expedição em busca de provas ou até mesmo do próprio pé-grande. Mas nada foi encontrado.

Em 15 de agosto de 2008, dois caçadores norte-americanos, John Mcloving e Mathias Rocha Conrad, foram aos média dizendo terem em suas mãos o corpo congelado do famoso Bigfoot. Porém, após a análise do "corpo", foi descoberto que o suposto cadáver do monstro não passava de uma fantasia de macaco congelado. Em defesa, os dois caçadores disseram terem sido enganados e comprado o corpo de dois outros caçadores por um preço "inacreditavelmente baixo", mas decidiram levar a farsa a diante.

Características

Relatos de pessoas que teriam visto a criatura, na maioria dos casos, descrevem um primata bípede muito alto (entre 2 a 4,5 m). Geralmente é coberto por pêlos de cor castanho avermelhada e seu rosto é uma mistura de gorila e ser humano. Algumas pessoas testemunham um forte odor desagradável, enquanto outras dizem que a criatura não exala cheiro.

Teoria evolutiva

Existe uma teoria científica que aponta a possibilidade dessas criaturas serem descendentes directos do gigantopithecus, primata já extinto, maior que um gorila e que possuia dentes parecidos com os dos humanos. Seu parente vivo mais próximo é o orangotango.

fonte: Wikipédia

Pterossauro



Os pterossauros (do latim científico Pteurosauria) constituem uma ordem extinta da classe Reptilia (ou Sauropsida), que corresponde aos répteis voadores do período Mesozóico. Embora sejam seus contemporâneos, estes animais não eram dinossauros. O grupo surgiu no Triássico superior e desapareceu na extinção K-T, há 65 milhões de anos. Os primeiros pterossauros tinham mandíbulas cheias de dentes e uma cauda longa, enquanto que as espécies do Cretáceo quase não possuíam dentes numa mandíbula que parecia um bico e a cauda estava bastante reduzida. Alguns dos melhores fósseis de pteurossauros vêm do planalto de Araripe no Brasil.

Os primeiros fósseis de pterossauros foram descobertos em 1784 pelo naturalista italiano Cosimo Collini, que os interpretou como sendo de um animal aquático. Foi só no século XIX que Georges Cuvier sugeriu tratarem-se de animais voadores.

As asas dos pterossauros eram constituídas por membranas dérmicas, fortalecidas por fibras, ligadas a partir do quarto dedo, que era desproporcionalmente longo. O pulso contém um osso extra, o pteróide, que ajuda a suportar esta membrana. As asas dos pterossauros terminavam nos membros posteriores, ao contrário dos morcegos actuais, onde as asas são braços modificados. Outras adaptações para o vôo incluíam ossos ocos (como as aves modernas) e um esterno em forma de quilha, próprio para a fixação dos músculos usados no vôo. Os pterossauros não tinham penas, mas há evidências de que algumas espécies pudessem ter o corpo coberto de pêlos (no entanto, diferente do dos mamíferos). O estilo de vida destes animais sugere que fossem de sangue quente (endotérmicos).

A estrutura óssea e a dentição dos pterossauros sugere que fossem animais carnívoros. Outras pistas do seu comportamento são oferecidas por algumas descobertas fósseis:
  • No Chile descobriu-se uma jazida com inúmeros pterossauros juvenis, o que sugere que procriassem em colónias como as aves marinhas actuais.
  • Foi encontrado um dente de espinossauro embebido numa vértebra de pterossauro, o que mostra que eram presas pelo menos deste dinossauro.


Filogenia e Classificação


  • Ordem Pterosauria (extinta)
    • Subordem Rhamphorhynchoidea 
      • Família Dimorphodontidae
      • Família Anurognathidae
      • Família Campylognathoididae
      • Família Rhamphorhynchidae
    • Subordem Pterodactyloidea
      • Superfamília Ornithocheiroidea
        • Família Istiodactylidae
        • Família Ornithocheiridae
        • Família Pteranodontidae
        • Família Nyctosauridae
      • Superfamília Ctenochasmatoidea
        • Família Gallodactylidae
        • Família Pterodactylidae
        • Família Ctenochasmatidae
      • Superfamília Dsungaripteroidea
        • Família Germanodactylidae
        • Família Dsungaripteridae
      • Superfamília Azhdarchoidea
        • Família Lonchodectidae
        • Família Tapejaridae
        • Família Azhdarchidae
fonte: Wikipédia

Serpente do mar



Uma serpente marinha, ilustração do livro History of Northern Peoples, de Olaus Magnus, 1555


A serpente marinha de Gloucester, caso ocorrido em 1817. A ilustração pertence ao livro Monsters of the Sea, de R. Ellis.


Em 1555, Olaus Magnus, no livro History of The Northern Peoples, escreveu sobre uma serpente marinha que apareceu na Noruega: "Marinheiros que percorrem a costa norueguesa, pescadores e comerciantes, todos contam história semelhante, sobre uma serpente gigante, aterrorizante - 60 metros de comprimento por 6 m de largura/diâmetro. Esta serpente habita os rochedos e cavernas de Bergen. Nas noites luminosas do verão, a serpente sai do seu esconderijo para devorar carneiros, ovelhas e porcos, ou avança mar adentro atrás de presas marinhas. Tem uma cabeleira no dorso, escamas negras e afiadas, olhos vermelhos flamejantes".

Animais gigantes de corpo alongado que se acredita viverem nos oceanos do mundo inteiro. São provavelmente os cryptids mais conhecidos e muitas teorias já foram criadas para explicar o que eles são, entre elas: mosassauros que escaparam da extinção, cobras marinhas gigantes, enguias gigantes, uma espécie de mamífero marinho alongado parente das baleias ou talvez das focas, etc...


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...