quarta-feira, 15 de agosto de 2012

"Não queremos matar o Ucumar, mas capturá-lo para estudo"


Policiais garantem que se trata de um macaco trazido pela última cheia do rio Bermejo

Policias de La Unión garantem que se trata de um macaco trazido pela última cheia do rio Bermejo. Os efetivos não tem duvidas sobre a existência do estranho ser e se preparam para capturá-lo.

O misterioso aparecimento de uma criatura de aparência humana nas matas ciliares de La Unión, 450 quilómetros a nordeste da capital provincial, é uma incógnita para os moradores da área, na sua maioria agricultores, pois até agora não foi esclarecido que tipo de animal que é.

O destacamento Policial da remota localidade do departamento de Rivadávia , disse ao Tribuno que não tinha nenhuma dúvida da existência da besta, mas que não era sobrenatural. "Seria , segundo eles, um exemplar gigante de macaco gritador ou bugio, que pode ter chegado depois de ter navegado por milhas ao longo do rio Bermejo".

Os policiais, todos nativos da região, foram diretos: "Um dos afluentes atravessa uma imensa floresta tropical na Bolívia e temos certeza de que o animal misterioso se aproximou dos ranchos e taperas dos indígenas, porque já não encontra comida nas matas ciliares", disse o cabo Jorge Torres".

Enquanto a agente Juana Juarez, em consonância com o seu colega , disse que "os dados recolhidos nas três incursões feitas pelo pessoal do destacamento nas margens do Bermejo, a pedido das pessoas e com as fotografias das pegadas que a criatura deixou na areia e foram fotografadas por um gaúcho, mais a descrição que fez um fazendeiro, do uivo gutural e lamentoso lançado pela besta, pensamos que se trata desse tipo de símio".


María e Marta Acosta, duas irmas da etnia wichi, garantem que o monstro esteve na frente delas 


Os gaúchos Rolando e Nico Díaz disseram que "é um bicho bizarro cheio de pelos" 


Esta pegada estranha foi fotografada com um telemóvel por um gaúcho da área.Devido à sua profundidade, estima-se que pertença a uma criatura com mais de 100 quilos

Enquanto isso, o sargento Ricardo Alzogaray, nascido nestas florestas e cujo os familiares são as principais testemunhas das aparições do humanóide, disse: "A veracidade das histórias e a seriedade dessas pessoas não estão em causa. Nos chamaram famílias que jamais fizeram uma queixa, e gaúchos e crioulos que não perdem tempo com piadas", disse ele.

"As mulheres indígenas que afirmam ter visto são respeitáveis ​​vizinhos. Então nós fomos para inspecionar. Infelizmente, a floresta densa, ganhou a luta. Pessoal qualificado deve vir para ajudar a capturar esta criatura, que provavelmente está sofrendo e que de nenhuma maneira queremos matar ", ponderou o sargento, com a concordância de seus colegas de trabalho do Chaco saltenho.

"Eu vi com meus próprios olhos "


"Eu vi com meus próprios olhos. É um ser antropomórfico, forte, muito alto , peludo, como descrito pelos agricultores de Rivadávia", disse ao Tribuno o comandante do Corpo de Bombeiros Voluntários de Rosário de la Frontera, José Exequiel Alvarez, um estudioso deste estranho fenómeno e que procura o mítico ucumar desde 2006, quando a cidade termal foi o cenário de numerosos avistamentos do humanóide, que duraram até 2009.

"O primeiro avistamento ocorreu em 13 de fevereiro de 2006, na área do arroio Salado, perto do Hotel Termas. Um casal esteve frente a frente e descreveu-o como um gorila com cerca de dois metros de altura e com um cheiro ruim ", disse ele.

"Então, as aparições continuaram. Eu tenho todas elas documentadas. São 33 no total, a maioria das quais foi reproduzida no Tribuno. A tal ponto, que o criptozoólogo americano Henry Wallas viaja constantemente a esta cidade para estudar o fenómeno. Parece que o animal vive nos bosques que rodeiam a área termal local", disse Alvarez. "Eu vi como muitos, e é incrível", concluiu.

fonte: El Tribuno

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...